Secretário de Saúde vistoria obras para atender pacientes com Covid-19

Neste sábado (9), o secretário de Saúde, Francisco Araújo, visitou as obras voltadas ao atendimento de pacientes com Covid-19 no Distrito Federal. Na ocasião, o gestor e sua equipe verificaram o andamento dos projetos e quando ocorrerão às entregas de mais leitos nesses locais, instalados no Complexo Penitenciário da Papuda, Hospital da Polícia Militar, Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Núcleo Bandeirante e estádio Mané Garrincha.

O primeiro local visitado foi a Papuda, onde funcionará um hospital de campanha com 40 leitos, sendo 10 de suporte avançado e 30 de enfermaria para a população carcerária com Covid-19. Conforme detalhado pelos gestores da Secretaria de Saúde, o objetivo é finalizar as obras até o dia 23 de maio. Em seguida, a expectativa é iniciar os atendimentos 10 dias depois.

“Estamos visitando as obras para cobrar a aceleração delas. O governador Ibaneis Rocha quer que antecipemos a entrega do hospital de campanha na Papuda, e vamos conseguir fazer isso cinco dias antes do que foi previsto”, informou o secretário de Saúde.

Até o momento, já foi concluída na Papuda a fundação das obras e da infraestrutura para a rede elétrica e cabeamento de dados. No início da próxima semana, será iniciada a montagem dos módulos pré-fabricados, semelhantes a contêineres, feitos de material com isolamento térmico e acústico, resistente a fogo.

“Eles vão proporcionar toda a segurança e higienização necessárias para os leitos”, confirmou o subsecretário de Infraestrutura, Isaque Albuquerque.

HOSPITAL DA PM – O próximo local visitado foi o Hospital da Polícia Militar, estruturado para receber 86 leitos de UTI e 20 de enfermaria. Francisco Araújo e sua equipe conferiram todas as salas onde serão instalados os equipamentos, como bombas de infusão, redes de gases e, posteriormente, as camas.

“A estimativa é já termos 10 leitos de UTI disponíveis nos próximos dias e, com isso, iniciar o atendimento no Hospital da PM para desafogar a rede pública de saúde”, afirmou o subsecretário de Infraestrutura.

UPA DO NÚCLEO BANDEIRANTE – Na UPA do Núcleo Bandeirante, os primeiros 20 leitos de terapia intensiva serão abertos para atender à população com Covid-19.

“Nesta semana já estaremos fazendo a ativação desses leitos, para dar uma resposta à necessidade da rede de saúde”, garantiu o responsável pela gestão da unidade, o diretor-presidente do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF), Sérgio Costa.

Ao conferir o local, o secretário de Saúde destacou a importância nacional desta entrega, uma vez que a unidade no Núcleo Bandeirante é a primeira UPA do país com leitos voltados para pacientes com Covid-19. Ao todo, ela terá à disposição 45 leitos de terapia intensiva para atender casos de coronavírus, caso os hospitais da Asa Norte (Hran) e de Santa Maria (HRSM) estejam saturados.

“Entregamos 20 leitos na UPA com o Iges-DF, e entregaremos ainda outros 20. É uma grande resposta para toda a rede de saúde. Estamos trabalhando para proteger as pessoas, abrindo leitos com responsabilidade. Tudo isso sob a orientação do governador Ibaneis”, ressaltou Francisco Araújo.

MANÉ GARRINCHA – Por fim, o último local visitado foi o estádio Mané Garrincha, onde estão em andamento as obras do hospital de campanha. Na companhia do secretário de Saúde e sua equipe, o chefe da Casa Civil do DF, Valdetário Andrade, conferiram o espaço que terá 197 leitos disponíveis.

Ao todo, serão 173 leitos de enfermaria adulto sem suporte de oxigenoterapia, mais 20 de suporte avançado e quatro de emergência a serem estruturados no hospital de campanha. Parte dos suportes onde eles ficarão já foram instalados, incluindo as redes elétrica e hidráulica. Além disso, a empresa responsável pela estruturação dos equipamentos já levou cerca de 130 camas com colchão para o estádio.

Segundo o subsecretário de Infraestrutura, as obras estão na reta final, com a finalização da limpeza e o início da ocupação pelas equipes de saúde. “Até o fim de maio está previsto o início dos atendimentos nos leitos de enfermaria, que são os menos graves. Estamos agora na fase de testes da estrutura e do treinamento de fluxos da equipe que foi contratada”, completou Isaque Albuquerque.

Texto: Leandro Cipriano, da Agência Saúde
Fotos: Geovana Albuquerque

Postar um comentário

0 Comentários