Covid-19: projeto social Reciclando o Futuro promove ações em comunidades

Uma das iniciativas é um leilão voluntário para o Dia das Mães. Veja como participar!

Renata d’Aguiar
A atuação de voluntários de diversos trabalhos sociais nas regiões do Sol Nascente e da Estrutural teve uma redução drástica, em função do distanciamento social e da crise provocada pela Covid-19. Além disso, moradores de rua estão impossibilitados de realizar refeições em restaurantes e bares, devido ao fechamento do comércio.
Motivado pela assistência à população dessas comunidades, o projeto Reciclando o Futuro iniciou uma série de ações em prol do auxílio emergencial a moradores dessas áreas de vulnerabilidade, inclusive vítimas do desemprego. A iniciativa, idealizada por Renata d’Aguiar, está hoje sob a coordenação da missionária Fabiana Lacerda.
O movimento Reciclando Vidas funcionará enquanto a pandemia durar. Aos sábados, a cada 15 dias, a equipe fará distribuição de almoço para moradores de rua. Os voluntários estarão equipados com todos os instrumentos de proteção.
A ação Reciclando Juntos assumirá a arrecadação de cestas básicas para essas regiões. As compras são feitas diretamente na conta da empresa Nutry Cestas, que fará a entrega nos pontos focais das comunidades.
O Amor Transforma será responsável por ações de arrecadação e de distribuição de itens realizadas pessoalmente pelos voluntários, atendendo regiões diversas daquelas do Reciclando Juntos a partir dos cadastros e verificação pelos voluntários sobre as reais necessidades emergenciais dos demandantes.
O projeto já deu início à construção de novos movimentos, mas destaca, neste momento, uma iniciativa voltada para o Dia das Mães: o Leilão Solidário.

A artista plástica Juliana Possa desenvolveu uma linda tela de método a óleo na temática de cores vivas para incentivar o pensamento positivo em meio à pandemia. Nas dimensões 90 cm X 70cm, a obra foi doada para o Reciclando o Futuro e o valor arrecadado será destinado à compra de cestas básicas.

Obra de arte foi doada pela artista plástica Juliana Possa

O leilão ocorre até sábado (09/05), com lance mínimo de R$ 1 mil, que pode ser feito no post ou por direct do Instagram oficial da organização.

“ACREDITAMOS QUE O LEILÃO SOLIDÁRIO É UMA MANEIRA DE INCENTIVAR OS ARTISTAS A SE MOVIMENTAREM NO SENTIDO DE UNIR A ARTE E A SOLIDARIEDADE EM PROL DA FORMA MAIS GENUÍNA DE EMANAR AMOR. APROVEITAMOS O DIA DAS MÃES E SUGERIMOS O QUADRO COMO UM POSSÍVEL PRESENTE”, DISSE RENATA D’AGUIAR.
Trajetória
O maior lixão a céu aberto da América Latina – a 20 km do Plano Piloto-, na cidade Estrutural, foi fechado em 2018. Apesar da justificativa de conservação ambiental, um grande número de catadores dependiam do espaço para se manter.
O Reciclando o Futuro foi idealizado na tentativa de aproximar a sociedade dessa realidade que a maioria das pessoas desconhece, inicialmente, por meio de palestras realizadas pelos catadores, professores e voluntários, para jovens e adultos, em faculdades e outras instituições.
Com o tempo, novos voluntários se juntaram à iniciativa e ajudaram a construir cursos de capacitação e outras ações de auxílio emergencial às famílias. Em março de 2018, Renata d’Aguiar, Fábio Campos, Pedro dos Santos, Marlei Rodrigues, Gustavo Leão e Daniel de Oliveira se reuniram em Assembleia Geral para constituir o Instituto Reciclando o Futuro, entidade da sociedade civil, sem fins econômicos, de acordo com a Lei 13.019 de 31 de julho de 2014, referente às Organizações da Sociedade Civil.
No mesmo ano, com o aumento do alcance do projeto e com os pedidos de moradores de outras comunidades, o Reciclando o Futuro expandiu suas ações de capacitação para o Sol Nascente, realizando cursos de empreendedorismo sustentável.
Sobre a idealizadora
A carioca Renata d’Aguiar é economista, auditora Federal de Finanças e Controle e, atualmente, trabalha no Governo do Distrito Federal. Idealizou o Projeto em 2017 e exerce o cargo de Presidente do Conselho Fiscal no Instituto.

Para saber mais, siga o perfil da coluna no Instagram.

Informações é do Portal Metrópoles

Postar um comentário

0 Comentários