URGENTE: Novamente ministro Alexandre de Moraes determina pela 4 vez a prisão do jornalista Oswaldo Eustáquio

 


O motivo da prisão foi motivado por uma live realizada com Zé Trovão e serve como uma provocação de Moraes ao discurso de Bolsonaro que não ...



O motivo da prisão foi motivado por uma live realizada com Zé Trovão e serve como uma provocação de Moraes ao discurso de Bolsonaro que não permitirá mais prisões políticas
O jornalista Oswaldo Eustáquio teve seu quarto mandato de prisão decretado pelo Ministro Alexandre de Moraes. 
 A prisão de Eustáquio é uma reação do ministro Alexandre de Moraes ao discurso de Bolsonaro que não aceitará mais prisões políticas. 
O mandado de prisão sem crime foi motivado por uma live realizada pelo jornalista com o caminhoneiro Zé Trovão. 
Além do pedido de prisão, o ministro também determinou o bloqueio das contas do jornalista no Instagram, youtube e twitter. Moraes não quer que Eustáquio se comunique nem por páginas de aliados. 
O pedido foi motivado pelas transmissões ao vivo do jornalista que convocaram a população brasileira para o manifesto de 7 de setembro.
Dessa forma, Moraes, novamente rasga a Constituição Brasileira. 
A Polícia Federal não sabe como cumprir o mandado de prisão, pois vai necessitar de uma ambulância para levar Eustáquio para a cadeia, tendo em vista que ele está em estado de paraplegia, sobre uma cadeira de rodas, dessa forma, a PF vai necessitar de uma ambulância para realizar a prisão, pois Eustáquio não pode andar em carros comuns, tendo em vista que a trepidação do veículo pode prejuidar sua fratura na quinta vértebra depois de ser espancado, torturado e ter sofrido um acidente na prisão da papuda.
A defesa de Eustáquio disse que aguarda comunicação formal da Polícia Federal para apresentação do jornalista as autoridades, tendo em vista que o profissional se encontra na Cidade do México onde finaliza uma cruzada internacional conservadora, passando por vários países denunciando os abusos de autoridade do STF para as Cortes Internacionais e para a imprensa na América Central e Europa.

Fonte: 
Diário Popular de SP

Postar um comentário

0 Comentários