A pedra e o abuso do poder econômico

 

A pedra e o abuso do poder econômico Recife vai às urnas, hoje, rachada, literalmente, ao meio, segundo Ibope, Datafolha, Ipespe e Big Data....


A pedra e o abuso do poder econômico

Recife vai às urnas, hoje, rachada, literalmente, ao meio, segundo Ibope, Datafolha, Ipespe e Big Data. Com exceção da disputa Roberto Magalhães X João Paulo em 2000, com bastidores inéditos no meu livro A derrota não anunciada, nunca se viu isso na capital pernambucana.

Desde 2006, com a chegada do PSB ao poder, Eduardo Campos, timoneiro do partido, que aprendeu a fazer o jogo eleitoral com Miguel Arraes, não sabe o que é enfrentar adversários que ameaçam tirar-lhe o poder das mãos. Desde que foi impedida de disputar as eleições para governadora em 2018, Marília Arraes tem sido a pedra no caminho do PSB.

Uma pedra que levou João Campos a fazer uma das campanhas mais sujas e agressivas da história do Recife. Mais do que isso, marcadas fortemente pelo poder econômico, o uso escancarado de duas máquinas em favor do candidato, a do Governo do Estado e a da Prefeitura do Recife. Prefeito, secretários estaduais e municipais, diretores de estatais, comissionados, enfim, só faltou o governador Paulo Câmara nas ruas dando uma de militante.

Uma vergonha. Ao longo da campanha surgiu de tudo. Ontem mesmo, véspera da eleição, a população tomou conhecimento de um áudio vazado pelas redes sociais do chefe de gabinete do prefeito, Rodrigo Farias, cobrando a devolução de dinheiro dado a uma candidata a vereadora no Recife. A forma desrespeitosa como ele trata a candidata chocou o Recife e deu o tom exato dos atos de milícia da tropa que quer eleger João Campos a todo custo.

Ao longo do dia e da noite chegaram ao blog informações as mais absurdas possíveis de agentes milicianos amarelos entrando em casas de bairros periféricos onde eram encontradas bandeiras, adesivos ou cartazes de Marília. Além de retirar a propaganda da petista à força, denúncias de oferta de dinheiro, elevadas quantias, para reverter o voto dessa gente para João. Cadê a justiça eleitoral e a Polícia Federal? Não fizeram um só flagrante ontem desse abuso do poder econômico.

Também há informações de que hoje pela madrugada chegaram várias caravanas do PSB do Interior, em ônibus fretados pelo partido e prefeitos aliados para fazer presença nas ruas.
A estratégia é impressionar. Mostrar que, com muita gente de amarelo pelas ruas, João ganhará a eleição.

Repórter Magno Martins Pernambuco

Postar um comentário

0 Comentários