Dona Cesarina Fonseca, uma Mulher de luta, força e muita fé!


Ainda tem esperanças de reencontrar o filho que desapareceu em 2005.
Natural de Bom Jesus PI, criada no Povoado Piripiri, Cesarina teve 10 filhos: Antônio (Desaparecido), Afonso, Francisca, Herculano (Jovem), José Expedito, Luzia, Manoel Abdias (In memorian), Maria Luiza, Pedro e Severino, casada com o Sr. Hermes Mariano Pereira, dona Cesarina é viúva a 19 anos .
Começou desde muito cedo a trabalhar na roça e ajudar os seus pais nos cuidados de casa. Casou-se bem nova e logo começou a cuidar dos filhos com muita dificuldade, pois tinha que pegar agua a 2 quilômetros de distância, onde tinha que trazer água da fonte para os cuidados de casa; quando as coisas estava mais difícil, tinha que pilar arroz na comunidade para facilitar no sustento da família
Como moradora do povoado Piripiri, comunidade localizada a 16 km da cidade, tinha que se deslocar com os produtos que era colhido da roça, para ser comercializado na “Vila”, como era conhecido na época a cidade de Bom Jesus
Grande parte dessas viagens eram feitas a pé, com muita dificuldade dado ao peso que carregava sobre a cabeça, e a distância. Algumas vezes no retorno, precisava trazer as compras a pé devido as dificuldades de transportes. as vezes essa viagem era feita acompanhado de um filho, ou feito com mais moradores onde, segundo ela a viagem se tornava menos longa, pois vinha se interagindo na estrada.
Na comunidade de Piripiri e regiões adjacentes, eram comum o sentimento comunitário, que envolvia a religiosidade, dentro deste contexto a Dona Cesarina, se destacou levando as pessoas os seu carisma e fé, onde ela através de sua profissão de fé Católica trazia alento aos aflitos e esperança as famílias que eram acometidas com algum problema de saúde, muitos a procuravam para rezar de quebrante em crianças e arca caída, muitos acreditavam no poder de intercessão que ela possui.
Outra característica que marcou a sua vida no município de Bom Jesus, foi a sua religiosidade e a sua devoção ao Divino Espírito Santo, pois teve a sua história marcada por várias passagens pelo município e região. Algumas vezes foi convidada para representar a cultura local em eventos realizados pela Universidade Estadual do Piauí - UESPI e Universidade Federal do Piauí -UFPI.
Em 2005, o desaparecimento do filho Antônio ( 45 anos), que havia sofrido um AVC e a partir de então não falava mais , transformou a vida de Dona Cesarina; após incansáveis buscas pela região e por todo o Piauí, ela ainda tem esperanças de encontrar seu filho. Chora ao lembrar daquele que ainda dependia de seus cuidados, mas que sumiu misteriosamente de casa, sem deixar rastros e nem notícias.
Hoje com 87 anos de idade, devido aos problemas de saúde, se afastou das atividades que envolvem a festividade do Divino, participando somente das novenas realizadas no povoado Piripiri(São José e Santa Luzia.
“Comecei a acompanhar a novena do Divino ainda criança, com o meu tio Nezim, foi ele que antes de morrer deixou essa missão, que ainda pequena já rezava e conduzia as esmolas do Divino, hoje estou com a minha saúde limitada, mas as vezes que fui chamada para entoar alguns benditos, fui e Deus me deu as letras na minha mente e esta gravada pra sempre”.
Dona Cesarina enfrentou muitos dificuldade mas nunca desistiu de lutar pela vida, e sempre investiu nos estudos dos seus filhos, apesar de não ser alfabetizada, ela trabalhava para sustentar os 10 filhos e sempre motivou para os estudos.
Um exemplo do incentivo aos estudos está o filho mais novo de Dona Cesarina, Herculano Fonseca, que já concluiu duas Licenciaturas nas Universidades: UESPI e UFPI, e atua como doscente no município de Bom Jesus.
“ Sempre motivei os estudos dos meus filhos, sempre aconselhei cada um para estudar e ser alguém na vida. Tive a honra de participar no dia 06 de março deste ano de mais uma formatura do meu filho mais novo. Pra mim foi muita alegria de contemplar mais essa benção.”, finalizou com muita emoção a dona “Cesaria” como é conhecida pelos amigos e familiares.

Postar um comentário

0 Comentários